RSS

Assisti: Cosmos: A Spacetime Odyssey

11 abr

Opa, faz tempo né? =)

We are star stuff!

Seth McFarlane é um cara meio babaca com criações muito babacas. Family Guy é um poço de piadas sendo repetidas várias vezes e explicadas o tempo todo pra economizar em escrita e ter certeza de que todo mundo entendeu a piada, American Dad consegue ser exatamente a mesma coisa – e eu não entendo como ambos fazem sucesso quando são tão idênticos – e sua apresentação do Oscar foi repleta de piadas desnecessárias. Ao unir o conjunto da obra, deduz-se que ele é só mais um americano buscando fama e um jeito de perpetuar piadas com gente gorda como assunto.

Até a hora que ele vai, pega a grana e a influência na mídia que ele construiu nesses anos todos, e lidera um remake da melhor série de ciência já feita na história: Cosmos.

Cosmos é incrível: Carl Sagan, junto de sua esposa Ann Druyan, produziu uma série de 13 episódios em 1980 explicando em linguagem comum sobre conceitos de física, biologia, astronomia, química, história e tudo que circunda a ciência num formato fácil de digerir e delicioso de assistir, repleto de viagens fantásticas e analogias que realmente fazem sentido. A série foi premiadíssima e segue até hoje firme e forte como referência a todo programa de TV que fale de ciência. Nunca ninguém tinha falado de um assunto tão difícil de um jeito tão épico. Uma versão TL;DR de Cosmos pode ser encontrada lá no YouTube em forma de remix que ficou lindo, vai lá ver. Mais de trinta anos depois, Cosmos retorna com uma cara completamente nova, um nome composto e um novo apresentador: Neil Degrasse Tyson. O novo formato aproveita os avanços da tecnologia que tivemos nos últimos trinta e quatro anos, adiciona lindos efeitos especiais, e traz como produtores executivos Seth McFarlane e Ann Druyan. Por essa ninguém esperava.

O resultado é magnífico: Tyson tem suas palavras muito bem escritas e expressadas, e informa ao mesmo tempo que seduz com as descobertas da ciência. Sua escolha como apresentador foi perfeita, visto que ele dedica boa parte do seu tempo divulgando ciência e inspirando jovens pelo mundo todo – tão pop que ele deve ser o único astrofísico que virou meme até hoje. O roteiro tem a adição de muita informação nova que não se sabia há 34 anos atrás, o que torna tudo ainda mais interessante. Sempre temos a impressão de que já que não temos mais gente indo pra Lua, que desistimos do assunto. Já ao comparar o que Cosmos dizia nos anos 80 e hoje, se percebe como a ciência caminhou durante todo esse tempo. E o melhor: se percebe o quanto ainda temos que descobrir e o quanto temos que ser corajosos e questionar em tudo que vemos.

Para entusiastas de tecnologia e interessados por ciência, assistir Cosmos: A Spacetime Odyssey é fantástico. A série faz você se sentir criança novamente e ter curiosidade sobre tudo, pois ao invés daquela baboseira chata de teses acadêmicas você leva um show de efeitos especiais dignos dos melhores filmes de Hollywood com um roteiro tão bem redigido e tão interessante que dá vontade de chorar. Entender como a ciência é maravilhosa e tão cheia de nuances é algo inestimável, é de explodir a cabeça. Experimente!

Anúncios
 
Comentários desativados em Assisti: Cosmos: A Spacetime Odyssey

Publicado por em 11/04/2014 em Uncategorized

 

Os comentários estão desativados.

 
%d blogueiros gostam disto: